BOAS PRÁTICAS

Websites do Grupo OMI

Data de conclusão do projeto: 20-01-2020, contudo ainda há desenvolvimentos em curso;

Empresa responsável pela implementação: JAVALI

Nome do Cliente: GRUPO OMI, OPERADOR DO MERCADO IBÉRICO DA ELECTRICIDADE

Descrição dos detalhes relevantes do projeto, incluindo desafio, solução e principais resultados obtidos:
Inaugura-se o ano 2020 com o lançamento dos novos websites do Grupo OMI pela JAVALI, que desenvolveu um projeto multisite em Drupal 8, de forma a proporcionar uma gestão centrada e organizada de todos os websites.  De entre as inúmeras funcionalidades deste projeto multisite destaca-se a criação de múltiplos tipos de conteúdos, taxonomias e webforms de modo a garantir a uniformização da apresentação dos conteúdos em todos os sites do grupo, e o desenvolvimento e integração de mais de 250 gráficos, atualizados em tempo real.
De forma a dar resposta aos requisitos do Grupo foram criados vários perfis/roles para gestão de backoffice, concedendo total autonomia às equipas de comunicação/sistemas de informação na criação e edição de conteúdos, cores, labels e traduções, bem como a possibilidade de criação de microsites (em fase de desenvolvimento). Foi integrado o módulo media que permitiu uma melhor organização/pesquisa de imagens, documentos e ficheiros dando a possibilidade de utilização de um ficheiro nos vários sites e foi assegurada a migração de todos os conteúdos e utilizadores.  Em particular nos sites da OMIP e OMIClear está a ser desenvolvida uma área reservada com acesso a subscrições mediante aprovação. Como preocupação constante da JAVALI o responsive web design (visualização em vários dispositivos), a acessibilidade, a segurança e a privacidade de dados (RGPD) foram garantidos.  Outro fator que contribuiu de forma bastante positiva para uma comunicação eficiente e eficaz com o Grupo OMI, foi a utilização de uma gestão de projeto ágil, usando o SCRUM como metodologia no desenvolvimento. No decorrer do projeto foram realizados Sprints quinzenais onde foram entregues ao Grupo OM, um conjunto de desenvolvimentos considerando a sua priorização, a qual era estipulada nas Sprint Planning Meeting semanais.  Com os seus novos websites, o Operador do Mercado Ibérico da Eletricidade (OMI) oferece aos seus potenciais e atuais utilizadores uma melhor experiência na navegação que assegura uma acessibilidade total e intuitiva a todos os seus conteúdos, tanto os de caráter corporativo como ao nível dos resultados de mercado. Em comunicado,“Las empresas del Operador Ibérico de Electricidad han quedado satisfechas con el trabajo realizado por Javali en el complejo proyecto de renovación de sus webs, que debía ajustarse además a un calendario muy exigente”. O Grupo OMI está estruturado em duas sociedades detentoras de ações, a OMEL e a OMIP SGPS. Cada sociedade detém parte das duas sociedades gestoras do mercado elétrico na Península Ibérica, nomeadamente: a OMIE, gestora do mercado diário e intradiário, e a OMI-Polo Português (OMIP), gestora do mercado a prazo. Por sua vez as sociedades gestoras detém também uma participação na sociedade OMI Clear-Sociedade de Compensação de Mercados de Energia, SA.

Tipo de tecnologias e soluções Open Source utilizadas: Drupal - Open Source CMS

“Connecting Portuguese SIRCOM to BRIS” - Interligação dos serviços de registos de empresas Portuguesas ao BRIS

Data de conclusão do projeto: 06 de Agosto 2019 (2ª fase até Fevereiro 2020)

Empresa Associada ESOP responsável pela implementação: Linkare TI - Tecnologias de Informação Lda.

Dono do Projeto: IRN - Instituto dos Registos e Notariado, I.P.

Descrição dos detalhes relevantes do projeto, incluindo desafio, solução e principais resultados obtidos:
Esta ação estabeleceu a interoperabilidade dos serviços portugueses de registo de empresas - SIRCOM, gerido e mantido pelo IRN - com o sistema de registos comerciais da União Europeia, o BRIS - Business Registers Interconnection System.

A interligação entre os dois sistemas permite, aos cidadãos europeus, pesquisar e consultar informação pública sobre empresas Portuguesas através de um serviço central acessível no Portal de Justiça Europeu.

Foi desenvolvida através de uma rede de eDelivery dedicada ao BRIS. Foi montado um Access Point de e-Delivery que permite ao IRN atualizar, regularmente e de forma segura, a informação pública sobre empresas junto dos Serviços Centrais do Portal de Justiça Europeu. Através desta ligação o utilizador do serviço pode também solicitar acesso a outro tipo de informação sobre uma empresa.

A ligação ao BRIS permite ainda receber e/ou enviar pedidos automáticos relativos a empresas, entre os Estados Membros, tais como atualização ou extinção de uma empresa mãe que tenha sucursais em Portugal, ou empresas registadas em Portugal que registem algum tipo de alteração, enviando essa informação em tempo real aos nossos parceiros Europeus.

Esta é uma ação coordenada pelo IRN e realizada em parceria com o IGFEJ (Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça) e com a Linkare TI.

Portal de Justiça Europeu, área do BRIS

Pesquisa sobre informação de Empresas através do Portal de Justiça Europeu


Tipo de tecnologias e soluções Open Source utilizadas
Para implementação do Ponto de Acesso de eDelivery foi utilizado o Domibus - Acess Point de eDelivery AS4: https://ec.europa.eu/cefdigital/wiki/display/CEFDIGITAL/eDelivery

Foi ainda desenvolvida uma aplicação em Java Spring Boot (tendo como base o Jhipster) para tratamento das mensagens recebidas/enviadas através do Access Point e garantir a interoperabilidade com o sistema nacional de registo de empresas, o SIRCOM.

Portal do Recrutamento Militar para o Ministério da Defesa Nacional

Data de conclusão do projeto: Agosto 2019;

Empresa responsável pela implementação: JAVALI

Nome do Cliente: Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional

Descrição dos detalhes relevantes do projeto, incluindo desafio, solução e principais resultados obtidos:
O Ministério da Defesa Nacional é o departamento governativo da administração central portuguesa que tem por missão formular, conduzir, executar e avaliar a política de defesa nacional.
Em 1997, foi aprovada uma nova Lei do Serviço Militar que excluiu a sua obrigatoriedade e estipulou que a prestação do Serviço Militar passaria a regime voluntariado. Ao longo dos anos, esta medida e o crescente descontentamento dos militares (com a estagnação dos salários e das progressões nas suas carreiras), provocaram um deficit muito elevado nos recursos humanos das Forças Armadas.

O Governo juntamente com as Forças Armadas, lançaram um plano de ação para a profissionalização. Este incluía o desenvolvimento de uma plataforma de comunicação eficaz de apoio ao recrutamento, com intuito de recrutar mais e melhor, de reter mais tempo, e de qualificar jovens para o serviço militar perante uma crise de vocações.

A Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional Portuguesa propôs à JAVALI a conceção e desenvolvimento de um portal assente na divulgação dos benefícios do Recrutamento Militar (nas áreas do Exército, da Força Aérea e da Marinha), para:

  • agregar a informação relacionada com a configuração do recrutamento militar (as estruturas intervenientes, os processos, os requisitos);
  • agregar a informação das várias especialidades, classes, ou áreas funcionais existentes (atividades, percursos formativos, zonas geográficas de colocação, requisitos de acesso;,entidades formadoras);
  • prestar informação atualizada sobre os concursos abertos;
  • possibilitar ao cidadão a pesquisa de áreas profissionais, em função de variáveis que definem o seu perfil de caracterização pessoal (adequação entre características pessoais e requisitos das funções); e
  • permitir que o cidadão possa esclarecer dúvidas mais elaboradas, que careçam de informação mais detalhada.

Este projeto foi financiado por uma medida SIMPLEX, com o intuito de unificar a apresentação das carreiras militares até à data descentralizadas e sem qualquer comunicação unificada.

Por ser em código aberto permite ao ministério da defesa um total controlo de toda a informação assim como de auditabilidade de todo o código, permite também uma independência de fornecedor, garantido deste modo a total autonomia para evoluções que se mostrem necessárias.

Conheçam o site, aqui.


Tipo de tecnologias e soluções Open Source utilizadas:

O Content Management System open source utilizado para o desenvolvimento deste projeto foi o Drupal, principalmente por ser completamente em código aberto, não ter qualquer custo de licenciamento e por ser compatível com diversas plataformas tecnológicas (Linux / Windows).

O Drupal destaca-se por ser extremamente seguro e escalável, caracterizado pela flexibilidade modular e com inúmeras provas dadas em projetos de grande dimensão e em várias áreas de atuação, desta forma a escolha do Ministério da Defesa Nacional incidiu sobre determinadas características e vantagens inerentes à utilização do Drupal, nomeadamente:

  • No mercado dos CMS estar entre os líderes de mercado;
  • Ser utilizado em sites governamentais;
  • Permitiu a criação de um portal desenhado de raiz pela JAVALI, à medida, garantindo uma imagem única, integrada e harmonizada das Forças Armadas;
  • Responsive/multi-dipositivo, garantindo o correcto acesso pelos diversos dispositivos;
  • Georeferenciação das diversas localizações de âmbito militar (carreiras disponíveis); Acessibilidade nível AAA (nível máximo)
Portugal Voluntário - CASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social

Data de conclusão do projeto: Fevereiro 2019

Empresa responsável pela implementação: Linkare TI - Tecnologias de Informação Lda.

Nome do Cliente: ASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social

Descrição dos detalhes relevantes do projeto, incluindo desafio, solução e principais resultados obtidos:
O portal Portugal Voluntário, trata-se de uma plataforma de Voluntariado de âmbito nacional com o objetivo de sistematizar a informação relativa à oferta e à procura do voluntariado, em todos os domínios de atividade, mediante a inscrição de organizações promotoras e de voluntários/as e a submissão de ações de voluntariado.

Para além da própria CASES, a plataforma é destinada a todas as pessoas individuais interessadas em promover uma ação de voluntariado, às organizações promotoras de ações de voluntariado acreditadas e também às iniciativas locais que apoiam organizações promotoras de voluntariado (Bancos Locais de Voluntariado, Bolsas de Voluntariado e outras entidades).

Este projeto é inovador em:

  • Sector social: projeto inserido no terceiro sector, de âmbito nacional, dirigido a todos os cidadãos voluntários e a todas as organizações promotoras de ações de voluntariado, de direito privado e público, incluindo autarquias locais.
     
  • Cooperação: A sua implementação é resultado do trabalho conjunto de três entidades: a CASES - Cooperativa de Interesse Público responsável pelo programa “Portugal Voluntário”, Instituto de Informática, I.P. - organismo da Administração Pública,que assegurou a infraestrutura tecnológica e a Linkare TI, responsável pela implementação da plataforma electrónica.
     
  • Partilhar e reutilizar: a implementação da plataforma foi realizada sobre uma framework tecnológica - FRAW integralmente desenvolvida sobre tecnologia Open Source pelo Instituto de Informática, que partilhou com a CASES permitindo a esta a sua adopção e para o desenvolvimento da plataforma “Portugal Voluntário”.
  • Adicionalmente, a plataforma encontra-se instalada em data-center do Instituto de Informática contribuindo para rentabilizar esta infraestrutura.
     
  • Transformação Digital: a plataforma desenvolvida permite a gestão integrada e desmaterializada de candidaturas, projetos e atividades de voluntariado, execução física e financeira, comunicação entre as partes envolvidas e pré-seleção automatizada de voluntários para as diferentes actividades, de acordo com critérios previamente definidos.

Conheçam o site, aqui.


Tipo de tecnologias e soluções Open Source utilizadas: Java, Java Enterprise Edition, Primefaces, Glassfish Enterprise Server, JavaScript e Hibernate, Docker.