Escola Digital Aberta em Portugal?

Escola Digital Aberta em Portugal?

2020- 09- 03

A digitalização do ensino em Portugal tem revelado vários desafios. O sistema não estava preparado para trabalhar à distância, algumas escolas conseguiram superar as adversidades mas muitos alunos acabaram por comprometer a sua aprendizagem. Para garantir que isso não se repetirá no ano letivo que se aproxima, o governo português tem anunciado algumas medidas.

A Escola Digital vai desempenhar um papel importante nos próximos anos. É essencial que a sua implementação se faça assegurando, por um lado, os interesses das escolas, dos encarregados de educação e dos alunos, mas também precavendo futuras dependências de fornecedores e salvaguardando os interesses do Estado. Isso faz-se com ferramentas que respeitem as Normas Abertas, incluindo as normas definidas no Regulamento Nacional de Interoperabilidade Digital.

No entendimento da ESOP uma Escola Digital Aberta deverá garantir:

  • a liberdade de escolha de equipamentos e sistemas operativos
  • a liberdade de escolha de software de navegação web (browser)   
  • a segurança de informação dos equipamentos em uso pelos estudantes    

Para este fim deverão seguir-se duas linhas orientadoras:

  • a preferências por aplicações web com compatibilidade multi browser     
  • a preferência por aplicações open source

Nesse sentido a ESOP propõe algumas soluções que já se encontram no mercado, totalmente alinhadas com as linhas orientadoras acima sugeridas:

Videoconferência e chat via web
Ensino à distância
Produtividade

O que se tem verificado é que apesar da existência de soluções compatíveis com os interesses do Estado, durante a crise COVID-19 proliferaram ferramentas de colaboração baseadas em software proprietário. Para além da falta de transparência e custo tendencialmente mais elevado deste tipo de soluções, algumas das plataformas utilizadas revelaram sucessivos problemas de segurança, que colocaram em causa a privacidade dos utilizadores. Se por um lado, a utilização desse tipo de aplicações é uma opção individual legítima, o mesmo não se pode dizer se tal uso for imposto pelo Estado.

As soluções Open Source oferecem mais segurança e evoluem de forma mais rápida, uma vez que o código é aberto e revisto por comunidades. Para além disso, as aplicações web que não requerem instalação e operam no contexto de segurança do navegador web representam também um risco menor.

Já existem bons exemplos de governos que optaram pela escolha responsável que o Open Source representa, como é o caso do governo francês que desenvolveu uma plataforma baseada em software Open Source para garantir que todos os intervenientes dentro do sistema de educação possuem as ferramentas necessárias para o ensino à distância (mais detalhes desta iniciativa aqui).

A ESOP está disponível para apoiar a estratégia de transição para a Escola Digital por via de muitos anos de experiência na digitalização de vários tipos de instituições.