Prémio Abertura

O Prémio Abertura visa distinguir as entidades que se evidenciaram pela utilização e adoção de tecnologias Open Source ou que contribuíram para a sua divulgação e dinamização. As primeiras edições da entrega do Prémio Abertura decorreram no Evento Linux, atualmente é entregue no Open Source Lisbon. Já foi entregue a várias entidades, que de seguida anunciamos:

Finalistas e Vencedores Prémio Abertura

2018 | IGFEJ - Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça

O Prémio Abertura 2018 foi entregue na 16ª edição do Open Source Lisbon que decorreu na Cidade do Futebol, a 27 de Setembro.

NOMEADOS

  • Ministério Público

O Ministério Público é uma entidade que, quer para as diversas aplicações internas (algumas delas de cariz confidencial), quer para o exterior, tem vindo a utilizar e a migrar para tecnologias Open Source. Além da utilização de sistemas GNU/Linux, MySQL, Apache, entre outros, utiliza Drupal, PHP e diversas outras tecnologias assentes em Open Source.

Tem apostado no desenvolvimento de diversos sites e microsites em Drupal (www.ministeriopublico.pt), das diversas comarcas, DIAPs e DCIAP (http://comarca-acores.ministeriopublico.pt/), de um portal agregador da informação das diversas PGRs da CPLP, e desenvolvimento de sistema de marcações online para obtenção de Apostilas (http://www.ministeriopublico.pt/apostila); e em Integração com diversos sistemas internos para obtenção de informação pública. Inclusão e migração de diversas bases de informação (sqlserver, oracle), destacando os pareceres do Ministério Público.

  • Ministério das Finanças, UniLEO - Unidade de Implementação da Lei de Enquadramento Orçamental

A UniLEO tem por missão assegurar a implementação da Lei de Enquadramento Orçamental (LEO) de forma a proporcionar ao Estado e aos seus serviços e organismos maior eficácia das políticas públicas numa lógica de resultados, cabendo-lhe a responsabilidade pela disseminação do Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas (SNC-AP) e da reforma da contabilidade e contas públicas em geral.

Neste sentido, foram criados, desde já, dois módulos do sistema de informação: “Gestão de Entidades” - recolhe informação que caracteriza cada uma das entidades - e “Questionário SNC-AP” - monitoriza a maturidade do processo de transição para o SNC-AP através de inquérito mensal às entidades, em que é permitido ao utilizador, após um primeiro preenchimento, voltar mais tarde para editar, acrescentar ou eliminar as informações introduzidas ou pré-existentes, finalizando, posteriormente a operação.

Por forma a assegurar elevados níveis de acessibilidade e usabilidade, foram adotados elementos gráficos responsivos, permitindo a sua adaptação a dispositivos móveis.

Esta aposta, da Administração Pública - Ministério das Finanças - no desenvolvimento sobre soluções Open Source (CentOS, Jboss wildfly, Docker community +swarm, Primefaces community, Jasper reports community, Omnifaces, Apache commons, Eclipse ide & netbeans, Bootstrap, JQuery...), numa lógica de modernização e de transformação digital, numa área de vital importância para o funcionamento racional do Estado Português - preparação, elaboração do orçamento de estado e do acompanhamento da sua execução. Sem esquecer a adoção das normas abertas, boas práticas e recomendações para a construção de sites/conteúdos web na Administração Pública.

  • IGFEJ - Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça

O IGFEJ, IP é um instituto público, integrado na administração indireta do Estado, dotado de autonomia administrativa e financeira e património próprio, que sucedeu nas atribuições aos extintos Instituto de Gestão Financeira e de Infraestruturas da Justiça, IP e Instituto de Tecnologias de Informação da Justiça, IP.

O projeto de Certidão Judicial Eletrónica (CJE) encontra-se inserido no âmbito dos projetos do Ministério da Justiça e iniciou-se no ano de 2017. Tem como propósito a criação de um portal onde os utilizadores podem emitir certidões referentes a declarações online acerca dos seus processos judiciais. Anteriormente, para se obter esta certidão era necessário que o cidadão comum se deslocasse a um tribunal, fizesse um requerimento formal por escrito e esperasse que o mesmo desse seguimento. Com este projeto, que surge da necessidade de cumprir uma das várias medidas exigidas pelo programa do governo SIMPLEX+, o pedido das certidões mais comuns e predefinidas pode ser realizado imediatamente, facilitando assim a vida dos cidadãos.

    Este projeto foi realizado usando as tecnologias Java, Apache, Tomcat e Web Services REST.

    Um projeto com carácer inovador e disrupção tecnológica na transformação na administração pública, enquadrado no Programa Simplex.

    Medida#73 - "Certidão Judicial Eletrónica" inscrita no Programa Simplex+2016.

     

    VENCEDOR

    O vencedor de 2018 foi o IGFEJ - Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, foi anunciado pelo Vice-Presidente da ESOP, Paulo Ribeiro. Foi entregue ao Presidente do Conselho Diretivo do IGFEJ, Dr. Joaquim Carlos Rodrigues pelo Dr. Cândido Mariz, em representação do Município de Barcelos, entidade distinguida no ano passado. De acordo com o Presidente do Instituto:

    “O IGFEJ agradece este prémio à ESOP, partilhando-o com o nosso parceiro CAIXA MÁGICA e dedicando-o aos colaboradores das nossas organizações que tudo têm feito para elevar o patamar da transformação digital e dos serviços on-line na área da Justiça”.

    2017 | Município de Barcelos

    O Auditório da Reitoria da Universidade de Lisboa, foi o palco escolhido para o Open Source Lisbon a 28 de Setembro, onde o Prémio Abertura 2017 foi entregue.

    NOMEADOS:

    • Imprensa Nacional - Casa da Moeda (INCM)

    A Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM) é uma sociedade anónima de capitais públicos. A empresa tem a seu cargo a produção de bens e serviços fundamentais ao funcionamento do Estado português, como a cunhagem de moeda metálica e a edição de publicações oficiais, onde se destaca o Diário da República. A INCM exerce ainda, no âmbito da sua atividade, a produção de documentos de segurança, como o cartão de cidadão e o passaporte.

    Apostando na evolução tecnológica e na transformação digital de grande parte dos seus processos de negócio a INCM a partir de 2015/2016 reforçou a sua aposta em tecnologias Open Source. Desde então tem vindo a implementar um conjunto de projetos com recurso a tecnologias open source, tendo em vista, por um lado, a modernização e a otimização de serviços prestados à sociedade e por outro, a melhoria da sua organização interna. Os projetos presentes na nomeação são:

    - Plataforma eletrónica do Diário da Republica (DRE) - https://dre.pt/ - No cumprimento do Programa Simplex+2016, foi disponibilizada, em 2016, uma nova interface com imagem renovada, usabilidade melhorada e adaptada à utilização em dispositivos móveis. A par da nova interface, também a pesquisa e indexação de conteúdos foram melhoradas e os utilizadores passaram a ter acesso gratuito a todas as funcionalidades do DRE. A edição e publicação do Diário da República em formato eletrónico é suportado por um conjunto alargado de tecnologias Open Source, incluindo Liferay, Java e Sol-r.

    - Livro de Reclamações online (LRO) – https://www.livroreclamacoes.pt/ – Uma iniciativa da Direção Geral do Consumidor desenvolvida em parceria da INCM, que implementou o projeto, enquadrado no Programa Simplex+ 2016. A par do livro de reclamações em suporte papel e tendo em vista a completa desmaterialização deste serviço, no futuro, junto dos consumidores e operadores económicos foi desenvolvida uma plataforma informática que consiste em prestar ao cidadão um serviço eletrónico melhorando e intensificando a relação e o diálogo entre os consumidores, as entidades públicas e os operadores económicos. A implementação desta plataforma, que se pretende única para a entrada dos pedidos de informação e das reclamações dos consumidores, será realizada em 2 fases, um projeto-piloto, já a funcionar plenamente, desde 1 de julho de 2017, com a participação das entidades reguladoras de serviços essenciais (ANACOM, ERSAR e ERSE) e uma 2ª fase, alargando o âmbito a todas as entidades que recebem reclamações dos consumidores. O Livro de Reclamações é, igualmente, suportado por um conjunto alargado de tecnologias Open Source, incluindo: Liferay, Java, Tomcat, Apache e Linux.

    - Intranet - migração de Sharepoint para Liferay e de MSSQL para MySQL - No plano da organização interna, a INCM procedeu à migração da Intranet para uma nova solução baseada em tecnologia Open Source, em produção desde Maio deste ano, substituindo a solução Sharepoint por Liferay, a par da substituição de MSSQL por MySQL para a base de dados. Para além das funcionalidades existentes anteriormente, foi desenvolvida uma funcionalidade adicional, integrada na mesma plataforma, que diz respeito à área de registo de entradas nas instalações da INCM, também ela integralmente suportada em tecnologia Open Source.

    A solução adotada assegurou a substituição integral das funcionalidades da anterior Intranet, incluindo todo o workflow de edição, aprovação e publicação de conteúdos, em simultâneo com a melhoria da interface, acessibilidade e usabilidade.

    É assim nomeada pela aposta no desenvolvimento sobre soluções open source (Liferay, Java, Primefaces, MySQL, Sol-r, Tomcat, Apache, Linux, ...), numa lógica de modernização da organização interna e de transformação digital de serviços destinados ao grande público (cidadãos e empresas). Tendo ainda apostado estrategicamente na utilização tecnologias Open Source alinhadas com as orientações da administração.

    Enquadramento nas medidas gerais e setoriais previstas no Programa Simplex+ 2016/2017.

    • IGFEJ - Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, I.P.

    O IGFEJ, IP é um instituto público, integrado na administração indireta do Estado, dotado de autonomia administrativa e financeira e património próprio, que sucedeu nas atribuições aos extintos Instituto de Gestão Financeira e de Infraestruturas da Justiça, IP e Instituto de Tecnologias de Informação da Justiça, IP.

    RCOL (Registo Criminal) - O registo criminal é um projeto que se encontra inserido no âmbito do Ministério da Justiça e iniciou-se no ano de 2016. Este tem como grande propósito criar um portal do registo criminal online. Importa referir que anteriormente, o cidadão comum para obter o certificado do seu registo criminal tinha necessariamente de se deslocar aos tribunais ou campus da justiça. Para facilitar todo este processo, procurou-se transformar este num meio eletrónico, passando, assim, a ser possível a todos solicitarem a emissão dos seus registos criminais por via eletrónica. Este projeto, que surge da necessidade de cumprir uma das várias medidas exigidas pelo programa do governo SIMPLEX+, visa facilitar a vida dos cidadãos.

    No que diz respeito às tecnologias, utilizou-se Java, Apache, Tomcat, Web Services Rest.

    Medida#10 - "Registo Criminal online" inscrita no Programa Simplex+2016.

    •  Município de Barcelos

    O Município de Barcelos tem utilizado as soluções Open Source transversalmente podendo ser destacadas três áreas: Desenvolvimento de aplicações, vertente de infraestrutura e Desktops.

    Relativamente às aplicações, utiliza o CMS Plone e Django (aplicações web para websites institucionais e para disponibilização de serviços aos munícipes), Koha (gestão integrada de bibliotecas), bases de dados (PostgreSQL), Process Maker (web based workflow and Business Process Management).

    Na vertente de infra-estrutura usa o software de virtualização Nuxis by Ovirt, eurotux Firewall, Asterisk no VoIP, estando a evoluir o servidor de email para Postfix+SOGo, monitorização Icinga, estando implementadas diversas plataformas computacionais com SO Linux CentOS.

    No parque de desktops do Município o LibreOffice está amplamente difundido.

    O Município de Barcelos tem abordado as mais diversas áreas com soluções Open Source, quer através de um fornecedor externo quer através de recursos internos, nomeadamente no desenvolvimento das aplicações que interagem com o Munícipe, evidenciando assim uma forte aposta no software aberto que acreditamos mereça ser premiado, sendo sem dúvida um caso de referência a nível nacional.

     

    VENCEDOR:

    O Prémio Abertura 2017 foi entregue ao Município de Barcelos, distinguindo esta quantidade na dinamização do software Open Source e Tecnologias Abertas em Portugal.

    Esta distinção foi entregue pelo atual Presidente da Direção ESOP, Eng. Raul Oliveira, ao Chefe da Divisão de Modernização e Tecnologia do Município de Barcelos, Dr. Cândido Mariz. De acordo com o Município, “este é um prémio que distingue a Câmara Municipal de Barcelos como um exemplo de boas práticas ao nível de toda a administração pública, que tem vindo a seguir uma política de modernização administrativa que privilegia o uso de tecnologias Open Source, ou em código aberto, por serem mais seguras e estarem isentas de custos de licenciamento significativos”.

    O site do Município, a Agenda Barcelos, o E-urbanismo, e muitos outros casos de plataformas de ligação aos munícipes e gestão interna são desenvolvidos usando plataformas de código aberto.

    2016 | Instituto de Informática, II, I.P.

    O vencedor de 2016 foi anunciado no Open Source Lisbon 2016, a 29 de Setembro, no Auditório da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa. 

    NOMEADOS:

    • Instituto de Informática, II, I.P., Nova Segurança Social Direta

    A Nova Segurança Social Direta (SSD) representa a evolução concetual e tecnológica do Sistema de Informação da Segurança Social em diversos domínios, assente numa visão que pretende posicionar o cidadão e os agentes económicos como o novo foco, simplificando e automatizando o acesso à informação, e proporcionando-lhes comodidade e maior autonomia no seu relacionamento com a Segurança Social.

    A nova SSD foi alvo de um estudo global de design e usabilidade, que conduziu à criação de uma interface com elevados níveis de acessibilidade e melhorias significativas em termos de experiência do utilizador.

    Para além de uma maior oferta de serviços on-line, para permitir aos utilizadores alcançarem os seus objetivos de uma forma self-service, a nova SSD aposta também numa comunicação mais efetiva, pro-ativa e abrangente, de forma totalmente desmaterializada através da Inbox da Segurança Social que tem incorporada. Como complemento a essa oferta, existe ainda a plataforma de serviços – bäse – que permite a comunicação eletrónica através da integração entre sistemas de informação, como forma de facilitar e agilizar a relação dos agentes económicos com a Segurança Social.

    Com cerca de 1,3 milhões de autenticações mensais, só o serviço de submissão de declarações de remunerações é responsável pela receção de 550.000 declarações mensais submetidas por entidades empregadoras.

    Este canal online, disponibilizando inúmeras informações e serviços online a empresas e cidadãos. A SSD está disponível a partir do seguinte endereço: https://app.seg-social.pt/sso/.

    A nova SSD está enquadrada no Programa Simplex+ 2016.

    • Instituto de Informática, II, I.P., SigaApp

    O sigaApp é uma aplicação móvel do sistema de informação de gestão do atendimento – sigä – e está disponível para dispositivos móveis Android e iOS. A aplicação permite consultar informação sobre as várias entidades aderentes, serviços e locais de atendimento, possibilitando a sua seleção por distrito ou proximidade, tendo por referência a localização do utilizador, indicando o melhor caminho para lá chegar através de consulta no mapa. Em termos de atendimento, a aplicação permite comodamente e à distância de um toque retirar uma senha eletrónica para ser atendido, disponibilizando ainda informação sobre o número de pessoas em espera e o tempo de espera do último atendimento, para ajudar à tomada de decisão.

    Esta aplicação foi integralmente desenvolvida com recurso a tecnologia e soluções Open Source e encontra-se totalmente integrada no sistema de Integração Contínua do Instituto de Informática, também ele suportado em tecnologias Open Source.

    Trata-se de uma aplicação com grande potencial de utilização por todos os cidadãos, estando enquadrada no Programa Simplex+2016.

    • IGAC - Inspeção Geral das Atividades Culturais, Transformação Digital

    A IGAC iniciou em 2015 um processo de transformação digital dos seus processos de negócio. Esta transformação está suportada em 3 sistemas instalados em infraestrutura gerida pela AMA - Agência para a Modernização Administrativa, sendo 2 deles novos:

    1. SIIGAC: sistema de informação da IGAC que continua a suportar todas as atividades de backoffice relacionadas com os processos de negócio.

    2. Nova Gestão Documental e de Processos: customização de um Sistema de Gestão de Documentos e Processos- iPortalDoc - com a criação de workflows para processos de expediente e processos de negócio.

    3. Novo Portal: implementado sobre Liferay, permite disponibilizar informações e serviços on-line a empresas e cidadãos.

    Adicionalmente, a simplificação e desmaterialização dos processos de expediente e de negócio permitem ganhos de produtividade no funcionamento da IGAC. Independentemente do momento onde o processo de se inicia (SIIGAC, iPortalDoc, Portal) é assegurada a integração entre os 3 sistemas ao nível da informação, documentos, ficheiros, worflow e notificações. A transformação digital em curso na IGAC é suportada em tecnologia e soluções Open Source: Liferay, iPortalDoc, Java Enterprise Edition, Primefaces, php, Tomcat, mySQL, Postgresql, Bootstrap.

    O portal encontra-se disponível no seguinte endereço: https://www.igac.pt/.

    Contribui para a desmaterialização de serviços destinados a um elevado número de cidadãos e empresas, estando enquadrada no âmbito de um contrato QREN-SAMA (aviso 1/2010).

     

    VENCEDOR:

    O projeto Nova Segurança Social Directa, do Instituto de Informática, II, I.P., foi o vencedor do Prémio Abertura 2016. Carla Costa e Paulo Antunes, do Instituto de Informática, II, I.P., foram a palco receber o Prémio, pelas mãos do Presidente da ESOP, Raul Oliveira, reforçando o espírito de trabalho e perseverança e agradecendo à ESOP a atribuição deste Prémio.

    2015 | TAP Portugal

    Em 2015, o Evento Linux foi o palco para a Cerimónia de Entrega do Prémio Abertura, a 1 de Outubro, no Polo Tecnológico de Lisboa.

    NOMEADOS:

    • TAP Portugal,  Portal Fly Tap - Baseado em tecnologias Open Source, o portal FlyTAP constitui uma complexa e desafiante infraestrutura, com elaborados processos de workflow em backoffice e uma equipa de gestão de conteúdos localizada em todo o mundo, trabalhando 24/7. O portal oferece aos seus visitantes cerca 53 mercados diferentes e mais de 20 línguas. As tecnologias utilizadas garantem o excelente desempenho do portal, um elevado nível de escalabilidade e um superior grau de segurança, sendo todas Open Source: CMS Siteseed, sistema operativo (Linux), linguagens de programação (PHP, JavaScript), servidores de bases de dados (MySQL, SQLite) e servidores web (Apache).
    • IHRU – Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana - Desenvolvimento de uma ferramenta on-line que permite simular um projeto de reabilitação urbana por forma a compreender os critérios de elegibilidade e possíveis níveis de financiamento no âmbito de um programa público de apoio à reabilitação de edifícios "Reabilitar para Arrendar". O projeto tem foco nos elevados níveis de usabilidade e funcionalidade para o utilizador final. Este projeto foi integralmente realizado com tecnologias open source: MongoDB, JEE, JavaServer Faces, Primefaces, JBoss WildFly 8.0, e instalado em infraestrutura Linux do IHRU. O simulador pode ser visto em: http://www.ihru.pt/simulator/
    • Instituto de Informática I.P. - O Instituto de Informática tem desenvolvido, nos últimos anos vários projetos com recurso a tecnologias Open Source:
      • Framework Web e Framework Batch, desenvolvidas sobre Java Enterprise Edition para suporte à implementação de novos projetos na Segurança Social, integrados na Visão 2.0, como por exemplo: Fundo de Compensação do Trabalho (FCT) e Fundo de Garantia de Compensação do Trabalho (FGCT): www.fundoscompensacao.pt.
      • Portal da Segurança: sobre Liferay, Solr Cloud e Nutch: www.seg-social.pt
      • Projeto de deteção de padrões, no combate à fraude, baseado em Hadoop, Spark e Kafka.
      • Ambiente de apoio ao desenvolvimento de software: Integração Contínua (Jenkins, Nexus, SVN, Maven, Bugzilla, SonarQube), gestão de conhecimento (xWiki) e IDE's.

     

    VENCEDOR:

    O Portal FlyTap da TAP Portugal foi o projeto escolhido para a atribuição do Prémio Abertura deste ano no Evento Linux 2015 – XIII encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta.

    Baseado em tecnologias Open Source, o portal FlyTAP constitui uma complexa e desafiante infraestrutura, com elaborados processos de workflow em backoffice e uma equipa de gestão de conteúdos localizada em todo o mundo, trabalhando 24/7. O portal oferece aos seus visitantes cerca 53 mercados diferentes e mais de 20 línguas. As tecnologias utilizadas garantem o excelente desempenho do portal, um elevado nível de escalabilidade e um superior grau de segurança, sendo todas open source: CMS Siteseed, sistema operativo (Linux), linguagens de programação (PHP, JavaScript), servidores de bases de dados (MySQL, SQLite) e servidores Web (Apache).
     

    2014 | IST-Departamento de Engª Mecânica – Grupo de Previsão Numérica do Tempo

    O Prémio Abertura 2014 foi entregue Evento Linux 2014 – XII Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta, que neste ano decorreu a 25 de Setembro em Lisboa.

    NOMEADOS:

    • IST - Instituto Superior Técnico, Departamento de Engª Mecânica - Grupo de Previsão Numérica do Tempo, pelo projeto que desde 2001 efetua diariamente e disponibiliza ao público a previsão do tempo para Portugal de forma gratuita em: http://meteo.tecnico.ulisboa.pt

    O Grupo de Previsão Numérica do Tempo (GPNT) da Secção de Ambiente e Energia do IST foi fundado pelo Professor José Delgado Domingos em 1999 no sentido de disponibilizar previsões meteorológicas de alta resolução. A infraestrutura de cálculo científico e website interativo para a previsão detalhada de parâmetros climatéricos e apresentação de observações climatéricas atuais e históricas, com base em modelos científicos de previsão, foram desenvolvidos integralmente com tecnologias Open Source.

    • Universidade de Évora, pela adoção das Normas Abertas previstas no RNID para documentos editáveis e não editáveis (ODF e PDF)

    A Universidade de Évora adotou proativamente (sem imposição legal) as Normas Abertas que são já obrigatórias para as entidades do Estado contempladas na Lei 36/2011, sendo a primeira Universidade em Portugal a dar um passo desta natureza.

    • Universidade do Porto, pela implementação de uma Cloud Privada baseada em tecnologia Open Source

    A comunidade académica da Universidade do Porto, com cerca de 36 mil utilizadores, suporta diversos tipos de projetos com diferentes tipos de necessidades. As infraestruturas técnicas de TIC encontravam-se em fim de vida e dispersas pelas 14 faculdades e institutos de investigação. O projeto de uma infraestrutura de larga dimensão, flexível e com grande capacidade de integração e crescimento, proporcionou a consolidação das infraestruturas na Universidade, a interoperabilidade com as infraestruturas de virtualização existentes e a interoperabilidade com a Cloud Pública.

    Estas nomeações devem-se não só à relevância dos atividades destas organizações para o Open Source em Portugal como também pela importância que a comunidade académica tem no desenvolvimento deste tipo de tecnologias e pelo seu papel catalisador nos projetos de inovação e desenvolvimento.

    O modelo aberto e colaborativo faz todo o sentido nas instituições do ensino superior e ajuda a criar massa crítica para o desenvolvimento de iniciativas de produção de novas soluções, mas também para o fortalecimento do número de recursos humanos à disposição da indústria.

    VENCEDOR:

    O Departamento de Engª Mecânica – Grupo de Previsão Numérica do Tempo (GPNT), do Instituto Superior Técnico foi o vencedor do Prémio Abertura atribuído pela ESOP este ano no Evento Linux 2014 – XII Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta.

    O vencedor dedicou o galardão à memória do Professor José Delgado Domingos que “defendia há já muitos anos a utilização de Open Source e a disponibilização de dados do sector público em prol da I&D”.

    O GPNT foi fundado pelo Professor José Delgado Domingos em 1999 no sentido de disponibilizar previsões meteorológicas de alta resolução. Desde 2001 efetua diariamente e disponibiliza ao público a previsão do tempo para Portugal de forma gratuita através do website: http://meteo.tecnico.ulisboa.pt.

    O projeto do GPNT consiste numa infraestrutura de cálculo científico e website interativo para previsão detalhada de parâmetros climatéricos e apresentação de observações climatéricas atuais e históricas, com base em modelos científicos de previsão. Este é um projeto completamente assente sobre tecnologias Open Source tais como Linux, Perl e PHP com um grau de sofisticação único no seu âmbito.

     

    Prémio Abertura na imprensa nacional:

    Exame Informática: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/software/2014-09-23-Tres-projetos-que-confirmam-que-ha-open-source-em-Portugal

    2013 | SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE

    Em 2013, o Prémio Abertura foi entregue no Evento Linux 2013 - XI Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta, que decorreu no Pólo Tecnológico de Lisboa a 26 de Setembro.

    NOMEADOS:

    • IGAC – Inspecção Geral das Actividades Culturais
    • Instituto de Informática da Segurança Social.
    • SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE

    VENCEDOR:

    O Prémio foi entregue pelo Presidente da Direção da ESOP 2013, Dr. Álvaro Pinto à SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE, pelas ações que tem vindo a desenvolver para a adoção de tecnologias Open Source no Ministério da Saúde, representada pela Vogal do Conselho de Administração, Dr.ª Carla Reis Santos, que agradeceu a distinção e refletiu “o caminho que estamos a seguir e a atribuição do prémio faz-nos acreditar que é o correto”.

    O objetivo do projeto realizado na SPMS foi servir de piloto de validação para, com os seus recursos e o conhecimento adquirido, estender a solução no Ministério da Saúde de uma forma abrangente (podendo chegar a um universo de 60.000 utilizadores). Segundo a SPMS, as suas motivações para este projeto consistiam em “cumprir a nova legislação que dá prioridade à adoção de software Open Source, reduzir custos com licenciamento e acumular conhecimento para replicar dentro do Ministério da Saúde”.

    Este projeto piloto abrangeu 200 utilizadores da SPMS no Porto e em Lisboa e consistiu na migração dos servidores de domínio, de ficheiros e de e-mail para Open Source e na mudança de Microsoft Outlook para Mozilla Thunderbird nos postos de trabalho. Esta implementação surge na continuidade de um outro caso de sucesso realizado no CHP – Centro Hospitalar do Porto, onde já se utilizava a mesma tecnologia desde 2005, abrangendo cerca de 6.000 utilizadores.

    2012 | Companhia de Seguros Tranquilidade, SA.

    O Prémio Abertura 2012 foi entregue no Evento Linux 2012 - X Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta  que decorreu no Pólo Tecnológico de Lisboa a dia 27 de Setembro de 2012, à:

    •  Companhia de Seguros Tranquilidade, SA. pelo trabalho desenvolvido na implementação de desktop Linux para um universo de 750 funcionários da empresa. Este projecto conduziu, segundo a empresa, a uma redução de 80% na fatura de software desktop.

    O Prémio Abertura foi entregue ao Diretor de Serviços da Direção de Organização e Sistemas da Tranquilidade, Pedro Ferreira, após a primeira apresentação pública deste projeto, que se destacou como uma das mais fortes no Evento Linux 2012.

    2011 | Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública & AMA

    Em 2011, o Prémio Abertura foi entregue a 29 de Setembro, no Auditório da Lispólis, em Lisboa. No mesmo evento, celebrou-se o 20º aniversário do sistema operativo Linux.

    Neste ano o Prémio Abertura foi entrega a duas entidades:

    • À Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública, representada pelo deputado Miguel Laranjeiro – pelas ações desenvolvidas na temática das Normas Abertas;
    • À Agência para a Modernização Administrativa, representada pelo Vogal do Conselho Diretivo Gonçalo Caseiro - pelas ações desenvolvidas na temática da interoperabilidade.